terça-feira, 20 de outubro de 2009

Fruto Sagrado - A Prece

A PRECE (Fruto Sagrado)

Mateus 6: 6-8 (Ore a seu Pai)
Atos 20: 24 (O que eu mais quero)
Romanos 7: 18-25 (A guerra interior)


Pai,
Por favor,
Não deixe o egoísmo me enlouquecer
Me consumir
Pai
Por favor
Não deixe o medo me controlar
E a covardia me impedir
Corromper a minha fé
Me levar pra longe de Você


O que eu mais quero
É sempre estar com Você
Ao Teu lado eu consigo perceber
Entender que eu não posso desistir
De ser humano



Pai,
Por favor,
Não deixe o conforto me seduzir
E comprar o meu silêncio
Pai, não deixe a religião me escravizar
E aprisionar os meus pensamentos
Corromper a minha fé
Me levar pra longe de Você

Não quero cair naquilo que condeno
Não quero me enterrar em teorias mortas
Não quero ser mais um numero frio
Congelado
Insensível


_____________________________________________________________________


Uma pequena descrição minha sobre a música:

Resenha
Música : A Prece ( Fruto Sagrado )

Primeira estrofe:

O tema abordado nessa estrofe é um sentimento que tem tomado conta de muitas pessoas, principalmente no século XXI. O egocentrismo é uma característica que todo ser humano tem, em algumas pessoas são mais expressos os ‘sintomas’; não podemos chamar-lo de doença, mas podemos o chamar de um distúrbio psicoemocional. Onde as pessoas demonstram uma tendência a ter/fazer as coisas somente pensando nelas mesmas, como se o Mundo girasse a sua volta. Juntamente com outros sentimentos, assim como; medo e covardia estão associados nessa musica, o compositor ora a Deus, para que esses sentimentos não o afastem dEle.

Refrão:

Mostra-se o desejo de estar sempre com Deus, e que sem Ele não seriamos, nem entenderíamos nada a respeito de sermos humanos. Por mais que, criássemos regras, filosofias, teses, deuses e afins; ainda assim continuaríamos sem entender a razão de existirmos. Ainda podemos frisar a frase “o que eu mais quero é sempre estar com Você”, e destacar a sede que há em estar sempre com Deus, e que é a primeira coisa que devemos pensar em fazer. Estar com Ele, deve ser nossa ‘preferência’.

Segunda estrofe:

Aqui é expresso um tema que muita gente se apóia: A Religião
Hoje vemos que as pessoas se apóiam na religião que possuem, estão basicamente acomodadas, esperando que Jesus volte, ou sei lá o que; ficam confortáveis nos bancos das igrejas aos Domingos (religiosamente frequentados), cheias de teses e opiniões formadas a respeito de religião/Deus/musica/estilo de vida/pecado; consequentemente ficando mais longe de Deus e do que Ele tem pra nos dar. Fácil é ‘LOUVAR’ a Deus com musicas do tipo: “Deus faça algo na minha vida”, “Deus me dê agora as suas bênçãos”, “Jesus, olha pra mim”, “Hoje meu milagre vai chegar”; e tantos outros jargões que dizem que são louvores a Deus, só é um pouco mais difícil falar pra Deus, que ele é maravilhoso, grandioso, sublime; e se Ele quiser me ‘dar’ alguma coisa, que seja sabedoria, discernimento, capacidade para falar do Evangelho; creio eu que algo assim que Deus se agrada de ver seus servos dizendo a Ele.

Ponte:

Pra mim uma das frases que mais me impacta, está aqui nessa pequena parte da musica; “Não quero cair naquilo que condeno, não quero me enterrar em teorias mortas”, isso pra mim soa profundo e poético. Quem nunca foi discriminado por ter ou fazer algo, por pessoas que queriam se mostrar ‘superiores espirituais’, com frases do tipo, “Não faça isso, Deus não se agrada disso”, ou “Nem parece ‘crente’!”. Isso sim é se enterrar em teorias mortas, ser mais um número frio, congelado e insensível. Muitas vezes tal pessoa até pratica a mesma coisa que naquele momento você fazia, mas em vez dessa lhe estender a mão para saírem juntas de um possível ‘problema’ preferem colocar o dedo em nossa face, e nos encher com palavras vãs.

Minha opinião: “Não cante essa música, mas sim; Ore-a!”


suezoribeiro ,

2 comentários:

bri_senedez disse...

adorei a sua descriçãão,
principalmente a do refrãão!
"Por mais que, criássemos regras, filosofias, teses, deuses e afins; ainda assim continuaríamos sem entender a razão de existirmos."

Willian Rochadel disse...

Estava buscando a respeito desta letra e encontrei sua descrição.
Realmente esta música é tocante e intrigante nos dias deste cristianismo frio, belíssima e super inspirada letra.

Postar um comentário